19 julho 2013

Sou como você me vê. 
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania. 
Depende de quando e como você me vê passar.
 Clarice Lispector

18 julho 2013

Dia de passeio com a família

Sol e calor... nada como nadar na enseada. 



09 julho 2013

Urbe herdada

Encontrei-a enfeitada. Meu olhar se perdeu em paredes medievais - algumas coloridas, outras caiadas. As construções que vi não eram muito altas e nem tão majestosas, mas belas. As janelas eram como olhos que me olhavam. E sorriam. Toda a cidade parecia querer me falar algo. Eu podia ouvir os sussurros por entre as antigas construções. E o ar, este cheiro forte de mar. Canais pontilhados de embarcações. Ruelas para andar. Sentia-a muito perto. Ela me acolhia, podia perceber seu afago. Era um pouco estranha para mim, mas não distante. Nem fria. Nada queria esconder, sua autenticidade era o início de fáceis percursos. O balanço de minha procura... Ou eu a amava, ou não. E as amarras haviam sido lançadas nas âncoras. Já não poderia soltá-las com minhas mãos. A saudade viera também, eu a identifiquei na proa de cada navio. Mas a leveza dos cantos me fascinava: os jardins, as águas, os parques, os lagos, os castelos. Ouço agora as outras melodias... São baladas. É o mundo que criei, na cidade em que vivo. Urbe herdada. 



Copenhague
















"Sabemos que Copenhague não é New York... mas nós agimos, como se fosse!"







Estilo eclesiástico - quando se fala na arquitetura antiga dessa cidade...
Cidade das torres!

Outro dia tem mais... MAR!