17 dezembro 2012

Os dias são muito curtos. Há tanto para fazer nestas horas alegres. Ora é o trabalho de minha casa e a convivência familiar, ora é o sonho que toma boa parte de meu tempo. Herdei de minha avó paterna a paixão pelas coisas pequenas. Aprendi com ela a amar as flores, as estrela, a noite escura e a lua. Nossa vida telúrica, lá no interior do Rio Grande do Sul, era um grande palco, onde os personagens reais e conhecidos se transformavam em contos ilustrados na voz doce de vovó Elisabeth. Tudo era graça naqueles entardeceres mornos de verão, a vida era como um balão colorido que saía a voar pelos vales em busca de novidades. Era um outro tempo, mas eu o trouxe em alguma pequena repartição das malas de minhas viagens. E hoje tenho essas lembranças aqui, com cuidado guardadas. De vez em quando - assim como agora que estou contando para você - eu as desembrulho. Pouco a pouco abro o papel, fino como seda, e então toco-as e elas voltam a brilhar, como se fossem pérolas de vidro. No entanto, o dias são muito curtos para contar todas as histórias... Elas me ocupam demais e eu preciso continuar a escrevê-las. E agora esta crônica tomou este rumo... e eu já não posso modificá-la nesta vastidão de sonhos... Que tenho! 

Obrigada, Charlote, pelas flores lindas! Beijo!


11 comentários:

Patricia Merella disse...

Querida Ila

Tambem herdei da minha avo materna estes tesouros da simplicidade...amar as flores,senti o luar,observar o mar e embalar-me cheia de amores a escutar a minha doce,forte,meiga e amiga de todas as horas... Adalcinda,assim se chamava a minha avo.. como era tao precioso estes momentos..Linda sua cronica,adoro ler-te.Feliz advento,bjkas

Cida Alves disse...

Olá Ila!!
Que belo!!
Infelizmente não convivi com minhas avós...mas sei que herdei da minha mãe...a amor à natureza e a simplicidade!!
Bjus meu bem...e feliz dia!!

✿ chica disse...

Te ler sempre faz bem! Lindas flores!!beijos,chica

Vicky disse...

Preciosa entrada, la felicidad casi siempre está en amar las cosas pequeñas !!
Besos

mel e jasmim disse...

És maravilhosa.
Que pausa boa que fazemos quando entramos aqui e nos deparamos com seus textos, suas lembranças, seus sentimentos.
Que infância linda e quantos valores lhe foram transmitidos!
Um beijinho enorme,
mel e jasmim

Decora Adora disse...

Si en estas fiestas una casi no tiene tiempo de nada . Muy linda infancia .me encanto lo que escribió !!! Emotivo
Cariños

rose japan disse...

Olá Ila!!! Que linda a foto...e a flor é linda.

bjinhos rose jp

Teresa disse...

Já dizia o grande Poeta: "O Sonho Comanda a Vida"... o que seria de nós sem esses sonhos, esses pequeninos bolsos de amor e segurança que nos transportam para esses tempos de inocência e ebeleza eterna?
Beijo e continue sonhando e nos honrando com essas magnificas imagens... dos sonos e da câmara.
Teresa

Myrian disse...

Querida,
Eu, assim como você, carrego um precioso tesouro: minhas recordações de infância com Vovó Hermínia.
Como somos felizes!
Beijos.

Sonia Guzzi disse...

Um jeito muito amoroso de cuidar de uma herança afetiva...
Grande abraço. Em divina amizade.
Sonia Guzzi

Alexandra Melo disse...

Adorei as palavras escritas com tanto carinho tb eu aprendi muita coisa com a minhã avo da parte do meu pai.
Sou sua seguidora,gosto das flores e as palavras que passam por este cantinho.
Beijinhos
Alexandra Melo
Se quiser visite o meu novo blog é sobre moda talvaz não faça muito o seu genero, mas se quiser dé uma forcinha amigas nunca são demais, inimigos sim.
www.modaelist.com