27 fevereiro 2014

Porque saio para fotografar... já inquieta. 
Tomo a direção do Jardim Botânico. 
O caminho está ladrilhado de encontros. Neles procuro-me. 
Palavras rabiscam figuras.
Escolho algumas para falar daquilo que já não consigo guardar. 
A folha rodopia com o vento e me fez lembrar 
do poema que gostaria de ter escrito - mas que não sei decifrar. 
Então, o silêncio em mim é interrompido pelas 
vivas vozes das plantas do parque. 
As flores, os pinheiros, os carvalhos e as faias, 
arbustos e ervas... tudo está a me falar. 
Olho para trás e vejo uma flora inteira a me contar coisas. 
Fascinada, observo a variedade de suas formas essenciais. 
O canto é matizado. 
A lente procura o macro, explora, experimenta. 
E eu me encontro neste muro intransponível - o da emoção. 
O parque... tão cheio de nós. 
Metamorfose e troca. 

5 comentários:

✿ chica disse...

Palavras maravilhosas completam a foto! bjs, tudo de bom,chica

Carol disse...

Olá, Ilaine. Quase não estou acessando a internet para passear pelos blogs. Dá saudades desses cantinhos e hoje vim correndo ver a sua natureza e um pouquinho de sua casa linda nos posts anteriores.
Beijos

Luiz Malvino disse...

Que bom que aceitei o seu convite do no Face e vim aqui no blog.
E cá chegando encontro essa belezura de postagem. Insisto na ideia de um livro seu com fotos, poesias, pensamentos... Ficaria, com certeza, maravilhoso. Pense nisso!
Beijos e parabéns!

Luiz Malvino

Élys disse...

Bela foto, lindas palavras!
Um abraço,
Élys.

Silvina Soave disse...

Preciosa fotografía, me encanta!!!
Abrazos.