16 junho 2015

Da aurora

Era como se a primavera lhe pertencesse, como se quisesse esposá-la, 
como se a luz fosse sua, como se tivesse que realizar um ritual. 
Saudava-a, acolhia-a, hospedava-a. 
Talvez Maia temia que a primavera fosse embora, 
que se retirasse, que levasse todas as fitas coloridas, 
que nos abandonasse, que se despedisse 
e que a buganvília deixasse de florescer.

6 comentários:

brisonmattos disse...

hummm!

Maria Luiza disse...

Tão apetitosos que chegam a ficar voluptuosos! Muito belo! Beijos

✿ chica disse...

Te ler é uma deliciosa viagem.Lindos morangos! bjs, chica

O meu pensamento viaja disse...

Um texto magnífico - adoro personificações!
E a imagem, divina. Branco e vermelho, nunca falha! É a combinação perfeita. Os morangos, a atração irresistível!
Ah! e a renda branca? uma nuvem!
beijo da Nina

rosiarts disse...

É muito bom passar por aqui, sempre encontro lindas palavras e maravilhosas imagens.
Bjus. Rose.

Kátia Brito disse...

Minha querida!
Que lindeza essas tuas palavras. ...E essa imagem dos morangos, lindos,de um vermelho intenso,frescos, suculentos?! Espetacular...Vir aqui é sempre uma delícia, obrigada por nos receber tão bem! Beijinhos, uma feliz semana, Katia.