08 maio 2014

As janelas estão abertas, a porta escancarada.
Um vento morno atravessa os pequenos aposentos da casa.
Ela senta no primeiro degrau da escada que vai para o jardim.
Segura nas mãos sua xícara preferida, aquela com flores lilás.
O café alimenta o corpo e a alma.
Seu olhar está coberto de brilho: é felicidade.
Olha suas plantas, elas concedem-lhe o encanto do nascer e do florir,
um despertar silencioso.
Ouve, no entanto, seus cochichos e o alvoroço de sua presença.
Hoje está muito pensativa. Lembra de seus amigos.
Todas as vezes em que regressa, encontra-os de braços abertos e então...
é como se o tempo não houvesse passado.
A autenticidade é como uma pele - sem rugas.
Há espaços entre ela e seus amigos,
espaços configurados nas mais diversas formas.
Mas nada, nada os fará mudar. E a beleza do reencontro se refaz com
condimentos de um passado cheio de sonhos e doidices.
Afeição não envelhece. Ah, que bom que você continua a mesma!









6 comentários:

Teresa disse...

Reencontro - com as nossas gentes, com nosso amor, com nossas coisas, com os lugares que amamos e nos amam - é o que de melhor há.

Adoro partir para poder voltar e reencontrar(me).

Abraço e obrigada por suas lindas fotos,
Teresa

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Que lindo texto cheio de reencontro e adorei a parte que fala dos condimentos do passado, bem isso mesmo! Show!
As fotos sempre me encantam, parabéns!
Beijos!
CamomilaRosa

Things and Thoughts disse...

So lovely and sweet words accompanied by those divine photos of lilacs!
Thank you Ilaine!

Beth/Lilás disse...

Ilaine,
Vim aqui banhar meus olhos com a beleza de suas flores e encontro este lindo texto.
Amei tudo!
beijos cariocas


Niken disse...

such a lovely pictures :)
coffee fuels the body and soul - i love that line

Bekas disse...

fantásticas.